Pontes Metálicas visam Património da Humanidade

O II World Heritage Congress - Pontes Metálicas de Grande Arco assinalou um passo em frente no processo de candidatura para a classificação transnacional das cinco pontes metálicas de grande arco: Maria Pia e Luís I, que unem Vila Nova de Gaia ao Porto, assim como de Garabit, em França, Mungsten, na Alemanha, e San Michele, em Itália.

Este grande objetivo do encontro internacional evocativo dos 140 anos da ponte Maria Pia reuniu, de 21 a 23 de junho, em Gaia e no Porto, os presidentes dos municípios envolvidos e a nata de especialistas nacionais e estrangeiros, personalidades de relevo no meio académico, técnico e científico, nomeadamente os professores Adão da Fonseca, Matos Fernandes, Joaquim Figueiras, José Manuel Cordeiro, Avelino de Oliveira, João Campos, Teresa Andresen, Paulo Cruz, Gonçalves Guimarães, além dos arquitectos Rui Loza e Daniel Couto e dos professores estrangeiros Bertrand Lemoine, Antonella Saisi, Michael Kloss e Rolf Hohmann.

A assinatura do Memorando de Entendimento entre os municípios onde as cinco pontes se situam (Porto e Vila Nova de Gaia, 1877 e 1886; Ruynes-en-Margaride, França, 1884; Paderbo d'Adda, Itália, 1889; Solingen, Alemanha, 1897) marcou o ponto alto do congresso, durante a cerimónia de encerramento que decorreu no Convento Corpus Christi. A candidatura transfronteiriça de classificação a Património Mundial foi reforçada, na circunstância, pela assinatura com as Companhias Ferroviárias donas das pontes históricas.

Este momento histórico foi presidido por Albino Almeida, em representação do Município de Gaia, e contou com a presença de Rui Loza, em representação do Município do Porto, Paula Carvalhal, do pelouro da Cultura da Câmara de Gaia, e Daniel Couto, presidente do CA da Gaiurb, empresa municipal co-organizadora do congresso.

Para além das notáveis intervenções que preencheram o primeiro dia do congresso, no Mercado Ferreira Borges, e cujos contributos serão indispensáveis à concretização do dossiê de candidatura, a oportuna visita ao Laboratório Edgar Cardoso, a partir do ancoradouro de Quebrantões, em Vila Nova de Gaia, permitiu apresentar o estudo de um busto de Edgar Cardoso, pelo escultor Hélder de Carvalho, com a intenção de ali ser erigido aquando da criação do Centro Interpretativo das Pontes do Rio Douro.

De referir que a ponte Maria Pia foi a primeira ponte metálica a ser construída com a importante inovação tecnológica introduzida pela dupla de engenheiros Eiffel e Seyrig, que abriu a possibilidade de construção das outras pontes que integram a candidatura.

O III World Heritage Congress será realizado, no próximo ano, em Itália, para dar continuidade ao processo de candidatura internacional.